Tua História

Sou simplesmente… MARLES

Por Marles Dias Sales

Marles está de toga de formatura.

Meu nome é Marleides Dias Sales, tenho 47 anos, dois filhos e 3 netos, sou funcionária pública, formada em letras inglês/português, pela Universidade Católica de Goiás. Tenho surdez total do ouvido esquerdo e surdez severa do ouvido direito.

Descobri minha surdez em 2007, após um erro de diagnóstico de infecção de garganta para deficiente autiviva em um encaminhamento médico.

Foi quando ouvi pela primeira vez o som das árvores, do vento, da rua e dos passos das pessoas e ouvi pela primeira vez a minha respiração.

Foi difícil de aceitar esse diagnóstico de surdez, pois fui criança em uma família de ouvintes e nunca ninguém congitou que eu fosse surda. Apesar de ter passado a vida toda “vendo” as pessoas me chamarem de surda e falando que iriam destampar meus ouvidos no tapa.

Mas as pessoas nunca se tocaram que eu era realmente surda. E eu não sabia a diferença entre ser surda ou ouvinte. Por isso fiquei sabendo por esse “erro de diagnóstico”.

Sou falante e para entender as falars sempre observo as pessoas falarem.

Depois, quando iniciei a faculdade, precisei de um monitor para me ensinar o som das falas em inglês. Ele, um voluntário, falava e escrevia para mim como se pronunciava determinada palavra, eu repetia até chegar perto do padrão deles.

Em 2008 arrisquei mais um concurso público, pois já tinha tentado outros 3 e não tinha sido chamada. Este último era para trabalhar em Goiânia. Eu passei e me chamaram. Participei pela  concorrência normal, pois para mim eu não era surda. E assim fiz a minha faculdade.

Gosto muito de ler, muito mesmo. Meus filhos são falantes normais e meus netos também.

E essa é a minha história.

Na faculdade um determinado professor me deu um papel para eu preencher e desistir do curso, pois ele alegava que eu não conseguiria e disse que não acreditava em mim.

Foi então que eu falei:

“Vou me arrepender de não ter conseguido… mas não vou chorar por não ter tentado, se eu tenho chances de não conseguir também tenho de conseguir e eu vou tentar e vou conseguir”.

E eu consegui.

Sou uma deficiente auditiva que trabalha como recepcionista de uma maternidade e é formada em uma das mais conceituadas universidade do país.

Fora isso, sou simplesmente… MARLES.

Alguém que adora viver a vida e ama o silêncio… porque o silêncio nos permite ouvir a alma das pessoas.

Compartilhar: Facebook Twitter